O que é Fundo de Investimento? Saiba como investir!

Você sabe o que é fundo de investimento, como funciona a sua gestão e até mesmo como investir em um? Confira as nossas dicas!

Atualmente, o mundo dos investimentos tem ganhado cada vez mais espaço na vida das pessoas em todo mundo, seja para aplicações mais simples, como para quem quer sair da poupança e partir para métodos mais rentáveis ou para quem está acostumado com o mercado financeiro e deseja fundos sofisticados. 

São inúmeras as vantagens que o investimento financeiro pode trazer para a vida financeira dos investidores, e entre elas está a gestão profissional da carteira e possibilidade de diversificar os investimentos até para quem não possui grande capital. 

Com isso, se você ainda não entende bem o que é fundo de investimento e quer ter a oportunidade de inovar na sua vida financeira, essa é a oportunidade de aprender tudo sobre o assunto. 

Afinal, o que são fundos de investimentos? 

Em contexto geral, é uma forma de aplicação financeira que reúne recursos captados de cotistas.

Ou seja, investidores que se unem para a realização de um investimento financeiro com a finalidade de lucrar com as aplicações do dinheiro em variados ativos do mercado financeiro. 

Além disso, nesse tipo de investimento não existe personalidade jurídica, sendo assim, constituída por vários investidores com um objetivo comum (retorno financeiro). E, para isso, investem juntos o dinheiro necessário para o empreendimento. 

Devido ao seu método de funcionamento, os fundos de investimento são equiparados a condomínios de investidores. Isso porque reúnem diversos investidores com participação no fundo. Sendo assim, cada aplicação do fundo é convertido em cotas e cada uma dessas cotas equivale a uma fração do fundo. 

Com isso, o valor do patrimônio do fundo é a soma de todo o dinheiro aplicado pelos investidores e o lucro é proporcional ao total aplicado.

Sobre a gestão de um fundo de investimento

A gestão de um fundo de investimento é responsabilidade de uma equipe formada por gestores do fundo. Que são, na verdade, instituições ou profissionais da área. Logo, as decisões sobre os recursos devem seguir as políticas predefinidas. 

Vale ressaltar, que nem todos os investimentos serão bem-sucedidos, sendo isso o que irá determinar a valorização ou não das cotas dos fundos.

No que se refere aos ativos financeiros, estes são valores e títulos imobiliários negociados nos mercados, sendo assim, os ativos são os investimentos, logo, são esses instrumentos intangíveis que geram renda, cujo valor advém de um acordo contratual existente. 

São eles: o monetário, de derivativos, de crédito, de capitais, de câmbio, e local ou global.

Um ponto importante sobre os fundos são as cotas e patrimônio dos fundos de investimento: 

  • As cotas são o valor que é aplicado em dinheiro em fundos de investimento. Cada uma dessas é uma fração do fundo. Desse modo, o valor da aplicação é proporcional ao número de cotas adquiridas. 
  • Já o patrimônio líquido é a soma do total de aplicações subtraídas dos resgates. O que resulta na soma de todos os ativos que compõem a carteira do fundo, exceto as obrigações e despesas causadas por ele. 

O valor da cota de um fundo de investimento é o patrimônio dividido pelo número de cotas. Portanto, o número de cotas só aumentará com o número de aplicações. Quando há resgates, o número de cotas é reduzido. 

O patrimônio líquido pode se valorizar ou se desvalorizar, dependendo da precificação dos ativos financeiros que compõem a carteira do fundo.

Existem vários tipos de fundos de investimento, classificados de acordo com a definição do tipo de ativo financeiro, a proporção e os limites de disponibilidade dos recursos dos cotistas. 

Segundo a diretriz da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (CVM), os principais fundos de investimento são organizados de acordo com uma carteira definida na Diretiva 555: fundos de renda fixa, fundos de ações, fundos de câmbio, fundos multimercados e fundos de pensão. 

Além disso, existem outros tipos de fundos previstos na Regulamentação da CVM. Sendo eles, os Fundos Imobiliários, o qual é tratado separadamente na Instrução 472 e os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs), que também é tratado em uma regulamentação própria, a Instrução 356.

De acordo com a nova Classificação de Fundos da Anbima (Associação Brasileira das Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais), existem três níveis para fornecer informações mais detalhadas e ajudar na comparação com outras formas de investimento disponíveis no mercado brasileiro.

O primeiro nível dessa divisão é a Classe de Ativos, na qual consta sobre os ativos que são permitidos ao fundo de investimento. O segundo nível da classificação se refere ao risco, dividido em três categorias:

  • Os  Fundo Indexados, os quais possuem retornos são direcionados pela diversificação de um indicador de referência. 
  • Os Fundos Ativos, os quais possuem meta de superar determinado indexador ou produzir retornos absolutos
  • E os Fundos de Investimento no exterior, os quais estão expostos à variação cambial. 

Por fim, o terceiro nível diz sobre a estratégia empregada, sendo que a Anbima estabelece mais de 30 possibilidades.

A classificação dos fundos serve para facilitar na seleção de qual é mais adequado frente às diferentes preferências, objetivos, perfil de investidor e  faixa de renda, que variam em conservador, moderado ou arrojado. 

Se você está com medo ou não sabe em qual Fundo de Investimento deve investir, não se preocupe! Temos um ranking com os melhores fundos de investimentos por instituição financeira! 

Deixe uma resposta